Contratar um seguro de vida é uma decisão financeira altruísta, mas o processo de seleção da melhor proposta pode ser desafiante.

É importante não deixar arrastar a decisão de proteger os seus familiares ou outros beneficiários. Neste artigo vai perceber porquê.

 

 

Para tornar a escolha mais fácil, tome nota do que deve prestar atenção, sempre que avalia uma proposta.

 

1. Compare o que é comparável

Parece redundante, mas é um erro comum.

Não compare propostas apenas com base no preço do prémio. Tenha a certeza que está a equiparar produtos semelhantes - com as mesmas coberturas e exclusões.

Sempre que possível, faça uma simulação para perceber as consequências da sua decisão. 

Por exemplo, imagine um acidente grave que resulta em morte. No caso de ter subscrito todas as coberturas do seguro de vida da EXS, os seus beneficiários são receber:

  • O montante referente à sua morte, à morte por acidente e à morte por acidente de circulação.

Significa que o capital seguro triplica – uma vez que as 3 situações estão abrangidas pelas coberturas incluídas na apólice.

 

2. Decida as Coberturas que quer incluir no seguro de vida

Os seguros do Ramo Vida cobrem o risco de morte ou sobrevivência da pessoa segura. São coberturas distintas.

  • Seguro risco de morte: a seguradora paga ao beneficiário o capital que foi acordado se a pessoa morrer durante a vigência do contrato.
  • Seguro risco de sobrevivência: a seguradora paga ao beneficiário o capital acordado se no final do contrato este se encontrar vivo. Por norma, são procurados por pessoas que procuram constituir uma poupança.

O seguro de vida pode também incluir outras coberturas complementares, tais como risco de invalidez - Absoluta e Definitiva ou Total e Permanente - hospitalização, doenças graves ou situações de desemprego.

Antes de começar a pesquisar, identifique com clareza as coberturas que pretende contratar. 

 

3. Atenção aos períodos de carência e exclusões

Normalmente, os seguros de vida não têm períodos de carência, exceto nas situações de morte por suicídio (2 anos).

Esteja atento também às exclusões.

Participação em atos criminosos, consumo de estupefacientes, catástrofes naturais, acidentes com motociclos, entre outras situações, podem não contemplar o pagamento do capital segurado na apólice de vida. 

 

4. Determine o Capital Seguro

Cada família tem uma situação financeira única. 

Um dos métodos para facilitar o cálculo do capital seguro recomenda o somatório dos custos mais avultados e significativos, tais como: 

  • Dívidas ao banco: crédito habitação, empréstimo para a faculdade dos filhos, despesas com cartões de crédito, etc.
  • Substituição de rendimentos: considere a esperança média de vida dos beneficiários que dependem do seu salário. 
  • Despesas com funerais e outros encargos associados.
  • Educação: se quer financiar a educação dos seus filhos, calcule as despesas associadas a um plano educacional tendo em conta o número de dependentes e os períodos de tempo expetáveis. 

Ao contabilizar todas as despesas atuais e prever as situações futuras, salvaguarda com maior acuidade a estabilidade financeira do agregado familiar. 

 

5. Seja honesto/a no questionário médico

Responda de forma sincera a todas as perguntas. Não oculte dados em relação aos seus antecedentes familiares, doenças preexistentes ou hábitos menos saudáveis porque pode estar a invalidar a apólice. 

Se pretende negociar e baixar o valor do prémio, adote medidas preventivas antes de subscrever um seguro de vida. Pode começar a praticar desporto, comer melhor, parar de fumar, entre muitas outras medidas que vão ajudar a melhorar os resultados da avaliação médica. 

 

6. Procure uma seguradora que dê garantias

O seguro de vida tem como propósito proteger financeiramente os beneficiários quando já não estiver cá para ajudá-los.

Pesquise e selecione uma instituição com uma reputação inquestionável, que ofereça garantias e seja financeiramente estável.

A seguradora deve estar inscrita na Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões.

 

7. Não espere muito tempo 

Quanto menor a idade, menor o valor a pagar por um seguro de vida porque menores são os riscos para a seguradora.

A lei impede as instituições de recusarem o pedido para um seguro de vida com base em deficiências ou "risco agravado de saúde". Contudo, à partida, podem recusar se tiver mais de 60 anos.

Para além disso, quanto mais tempo espera, maior a probabilidade de vir a desenvolver uma doença que pode influenciar o montante do prémio. 

 

Contrate um seguro de vida adaptado a si e à sua família

Fazer um seguro de vida não precisa de ser um assunto desconfortável. Pelo contrário. Trata-se de oferecer conforto financeiro àqueles que mais estima!

Veja a proposta da EXS Seguros e faça a sua simulação. 

Os nossos consultores estão disponíveis para ajudar a descomplicar todo o processo.

 

+ info
Partilhe